5 de abr de 2014

Biografia X JAPAN

INÍCIO:1982
STATUS: ATIVOS

FORMAÇÃO:


TOSHI
Nome Verdadeiro: Toshimitsu Deyama
Nome Artístico: Toshi
Posição: Vocalista
Data de Nascimento: 10 de Outubro de 1965
Lugar de Nascimento: Tateyama, Chiba
Signo: Libra
Tipo Sanguíneo: A
Altura: ???
Peso: ???
Formações: ???
Habilidades Musicais: Guitarra, clarinete, trompete, bateria, baixo, vocal e compositor
Bandas: Dynamite, X Japan e Solo.






História



Toshi foi provavelmente um dos cantores de maior influência no Japão. Com uma voz surpreendente que alcança 3 oitavas, Toshi emocionava os seus fãs cantando baladas como “Say Anything,”, “Tears” e Forever Love; e os levava às loucuras cantando “Kurenai”, “Orgasm” e, principalmente, o hino “X”.

Nascido no dia 10 de Outubro de 1965 na cidade de Tateyama, Toshi iniciou os estudos de piano e canto aos quatro anos de idade (sua mãe, assim como a do Yoshiki, era professora de piano). Aos seis anos, quis aprimorar os seus conhecimentos de música e começou a ter aulas de violão. Nunca participou de concursos de música durante a infância, mas tocava na orquestra do colégio.

Ele e o Yoshiki são amigos de infância. Formaram a primeira banda em 1978 sob o nome de “Dynamite”. Yoshiki tocava bateria e Toshi era o guitarrista e vocalista. Posteriormente, aos 15 anos (1980) a banda mudou o nome para “Noise”. Eles tocavam covers de bandas de Hard Rock, como Kiss, Led Zeppelin e Deep Purple.

Toshi era tímido e tinha complexo de inferioridade. Assim que terminou o colegial em 1982, conseguiu entrar em uma Universidade japonesa prestigiada no curso de Medicina. Mas, a insistência de Yoshiki para que ele seja músico, junto com o desejo de superar este complexo se tornando um Rock Star, fez com que desistisse da faculdade e seguisse a carreira musical. Neste mesmo ano, mudou-se para Tokyo junto com Yoshiki e mudaram o nome da banda para “X”.

Apesar de almejar a fama, Toshi não sabia se comportar como um Rock Star. Em 1987 com a entrada de hide na banda, hide e Yoshiki o ensinaram a como se vestir, se portar no palco e fazer maquiagens.

A banda alcança seu auge em 1988 com o álbum “Blue Blood”. E Toshi chocou todos com a sua voz, presença de palco e com o visual que aprendeu usar.

Em 1992 lançou o seu primeiro álbum solo, o “Made in Heaven”. Criou um álbum totalmente diferente do estilo do X Japan. Cantando músicas compostas por ele mesmo, com melodias calmas e letras otimistas, que refletiam o lado “normal” do cantor. Entrou em turnê do álbum solo junto com a banda “Night Hawks” em 1993. Neste mesmo ano, contracenou na peça de Shakespeare, “Hamlet”, ao lado da atriz Kaori Moriya. Ele interpretava Hamlet e Kaori a personagem Ophelia. Apaixonaram-se e se casaram no dia 14 de Fevereiro de 1997 (no dia dos namorados no Japão).

Cansou-se do visual que usava em 1995. Cortou o cabelo, tingiu da cor natural e passou a usar roupas discretas.

Em Abril de 1997, Toshi chocou seus fãs e principalmente os membros X Japan quando anunciou sua saída da banda. Disse que as músicas eram muito difíceis de serem cantadas, que as letras eram depressivas demais, que não estava feliz com elas e que queria se dedicar a sua carreira solo. Yoshiki disse que não ia colocar outro vocalista na banda e anunciou o fim dela oficialmente em Setembro de 1997. Subiram juntos, até então pela “última” vez, em 31 de Dezembro de 1997 num último show no Tokyo Dome chamado “The Last Live”.
Nos próximos anos, se dedicou a sua carreira solo e em 1998 começou fazer parte de uma seita de um homem chamado Masaya Kurabuki.

Masaya tocava músicas chamadas “Healing Music” (no japonês: Iyashi Kei), mais conhecidas aqui no Brasil como New Age (artistas deste gênero: Enya, Sarah Brightman, Enigma, Loreena McKennitt, Era, Yanni, Clannad, etc.). Toshi escutou um cd dele em 1997 e começou freqüentar os shows. A partir disso, percebeu que apesar de ter tudo o que o dinheiro consegue comprar, uma esposa que o amava e uma carreira de sucesso, sentia um vazio por dentro.

Ele viu que Masaya se dedicava a caridade como forma de curar o espírito. Masaya queria criar uma seita e expandir sua palavra. E em 1998, Toshi se encontra com ele e doa todo o seu dinheiro que conseguiu com o X Japan para Masaya continuar com o trabalho de caridade. Neste mesmo ano, eles fundaram uma gravadora e organização chamada “Home of Heart”, que curavam as pessoas com terapia musical.

Toshi começou cantar músicas compotas por ele e por Masaya. Iniciou também, shows por todo o Japão em abrigos, asilos e instituições de caridade.

Posteriormente, Masaya cria uma outra organização chamada “Lemuria”, que também fazia terapia musical.Esta também teve o apoio de Toshi.

Em 2004, Toshi se aposenta da carreira musical. Mas ele juntamente com Masaya e os membros da “Home of Heart” e “Lemuria”, são processados por pedofilia e tortura mental. A corte de Tokyo preservou a identidade das crianças e da mulher que alegou a tortura durante um seminário.

As acusações contra Toshi foram retiradas, pois segundo as vítimas, os membros da “Lemuria” eram os principais praticantes de pedofilia. Além de os abusarem sexualmente, também os obrigavam a abandonar a escola e a trabalhar para Masaya (faziam trabalhos domésticos na organização, na casa de Masaya e também eram obrigados a cozinhar).

Em 26 de Fevereiro de 2007, foi determinado pelo juiz que Toshi e os membros envolvidos no processo pagassem uma indenização de 10 mil Yen, cada, para a mulher que os acusaram de tortura mental.

O processo do envolvimento dos outros no caso de pedofilia ainda está em aberto. E Toshi (apesar de ter sido absolvido) junto com os advogados permitiram que dois delegados prosseguissem com a investigação.

Em março de 2007, Toshi se encontra com Yoshiki em Los Angeles após anos de não se verem. Disse que gostaria de voltar com o X Japan. E Yoshiki disse que ia pensar na situação.

Em julho ele anunciou o retorno da banda após 10 anos.

Apesar de todas as acusações contra Masaya, Toshi continua trabalhando com ele. Lançou o álbum de melhores sucessos, o “Ai no uta wo utaitai” (tradução: “Gostaria de cantar uma canção de amor”) com músicas de 1999-2004 (músicas da fase Iyashi Kei) no dia 25 de Fevereiro de 2008.

Voltou a fazer shows com o X Japan em março de 2008, em três shows no Tokyo Dome nos dias 28, 29 e 30. E em maio de 2008, tocou novamente com o eles no “Hide Memorial Summit”. No mesmo mês, lançou mais um single da carreira solo, o “Earth In The Dark”. Que ele tocou em seu solo nos shows do X Japan no Tokyo Dome.


O cd com a música “Earth in the Dark”, chamado “Seiki Jidai”, foi lançado no dia 25 de Julho de 2008. Este foi o 11º álbum da fase Iyashi Kei e 18º na carreira solo.

Devido a problemas de saúde do Yoshiki, a turnê mundial do X Japan teve que ser adiada. E durante este intervalo para a recuperação do Yoshiki, Toshi anunciou no dia 11 de Junho uma nova banda chamada “TOSHI with T-EARTH”.

Segundo ele, esta banda tocará “Eco Hard-Rock” (músicas com letras em prol do meio ambiente, mas com ritmo hard rock). Ele visa juntar as forças dos jovens por meio da música e colocá-las para o bem da Terra, segundo suas palavras: “PESSOAS JOVENS NÃO PODEM SER DERROTADAS”.

Fazem parte da banda os guitarristas Touya (Charlotte) e JUN (ex-Phantasmagoria), o baixista Ruka (Charlotte) e na bateria os membros suporte (ainda não oficiais) são Levin (ex- La'cryma Christi) e Shinya (LUNA SEA). Toshi também afirmou que haverá um tecladista, mas o seu nome ainda não foi anunciado.

A estréia do “TOSHI with T-EARTH” será no dia 12 de agosto em Nagoya. A primeira música do trabalho se chama “Kabe” e estará junto com o álbum “Earth Spirit” que será lançado no dia 8 de agosto. Também estão sendo planejados shows no Chile e no Brasil em outubro. Mas ainda estão sem datas definidas.


Curiosidades

• Era uma criança acima do peso, mas aos oito anos começou praticar baseball e vôlei. O que fez com que emagrecesse.

• Durante a infância cantava apenas em excursões de colégio e em rodinhas de grupo.

• Era um bom aluno no colégio e sempre tirava notas acima de 90 (em avaliações de zero à 100).

• Na época em que estava no “Dynamite”, durante alguns shows, cantava com o uniforme do time de vôlei do colégio. Pois muitas vezes os treinos se coincidiam com o dia das apresentações. Ele também tinha o cabelo raspado por causa do time.

• Consegue alcançar até 3 oitavas, o que é muito raro para um homem (o normal é 2 oitavas). Isso também possibilita que ele cante perfeitamente músicas que são escritas para voz de mulher.

• Seu time de baseball favorito é o “Giants”.

• Tem três irmãos e é o mais novo.

• O seu irmão processou Masaya em 1998 por ter induzido Toshi a doar todo o seu dinheiro na seita. E também o acusou de ter feito lavagem cerebral.

• Muitos dizem que o Toshi saiu do X Japan por causa de sua esposa Kaori e do cantor Masaya. Diziam que Kaori era da seita e fez com que Toshi entrasse. Mas isso é mentira, pois Kaori entrou na seita depois de Toshi ter entrado e ele conheceu pessoalmente o Masaya depois que acabou o X Japan.

• Ele saiu da banda por vontade própria. Pode se observar pelas músicas da carreira solo, que são totalmente diferentes das do X Japan.

• Masaya disse que Toshi não tinha a “paz espiritual” porque era um astro de rock.

• Toshi disse que preferia cantar em asilos e instituições de caridade, ao invés de shows grandes.

• Perdeu mais da metade de seus fãs depois que deixou o X Japan. Hoje em dia, muitos ainda o odeiam por causa disso.

• Kayama Yuzo ficou surpreso com a música que Toshi regravou para o seu álbum de aniversário de 61 anos.

• Sempre esteve atrás de Yoshiki e hide nas pesquisas de popularidade.

• Depois de anos após ter saído do X Japan, diz que as roupas que usava eram ridículas e embaraçosas.

• Um amigo dele que era empresário do X Japan que o convenceu de voltar agora.

• Yoshiki sempre disse que ele era “uma pessoa normal”.

• Emocionou-se ao cantar a letra de “Without You” (música escrita pelo Yoshiki em homenagem a hide). Durante as gravações teve que parar várias vezes, pois ele e o Yoshiki não conseguiam parar de chorar (a música será lançada neste ano).

• Tem interesse de cantar uma das músicas do Violet UK. Durante a entrevista no My Space, Yoshiki não disse qual era. Apenas disse que ele ouviu a música durante o “Yoshiki Symphonic Concert” em 2002 e gostou muito. Há grande possibilidade de ser “Amethyst” (que até então o X Japan só tinha a versão orquestrada) ou a “I’ll be your love”.



YOSHIKI
Nome Verdadeiro: Hayashi Yoshiki (林 佳樹)
Nome Artístico: Yoshiki
Posição: Baterista e Pianista
Data de Nascimento: 20 de Novembro de 1965
Lugar de Nascimento: Chiba, Japão
Signo: Escorpião
Tipo Sangüíneo: B
Altura: 1,70m
Peso: 56kg
Formações: ???
Habilidades Musicais: Bateria, Piano, Compositor, Guitarra, Baixo, Teclado e Violino.
Bandas: Noise, X, X Japan, V2, Globe, Violet UK e S.K.I.N..




História


Yoshiki nasceu no dia 20 de novembro de 1965 em Chiba, Tateyama. Aprendeu a tocar piano desde os 5 anos de idade por influência de sua mãe que era professora de piano. Aos 10, começou a tocar bateria, depois de assistir a um Show da banda Kiss no Japão. Pouco se sabe sobre sua família, pois Yoshiki não gosta de falar muito sobre o assunto apenas de sua mãe. Parece que sua família tinha uma loja de roupas. Em uma entrevista em 1999, Yoshiki confirmou que seu pai havia se suicidado aos 33 anos, na epoca Yoshiki tinha apenas 10 anos. Em homenagem a seu pai, Yoshiki compôs a musica Tears aos dez anos de idade.

Em 1982, Yoshiki formou uma banda junto com seu amigo de infância Toshimitsu Deyama (Toshi). Entretanto, nenhuma gravadora queria se arriscar a lançar a banda por causa de suas letras pesadas e agressivas. Sua mãe apostando no sucesso do filho decidiu vender o negócio da família e deu todo o dinheiro para o Yoshiki. Com o dinheiro Yoshiki fundou a Extasy Records e em 1988 lançou o primeiro álbum do X - Vanishing Vision.

Mesmo sendo lançado por um selo independente o álbum vendeu cerca de 10.000 cópias nas primeiras semanas e alcançou o ranking da Oricon dos mais vendidos no Japão. O álbum traduzia o lema da banda “Psychedelic violence ~ Crime of visual shock” (“Violência psicodélica, crime do choque visual”).

Em 1992, junto com Tetsuya Komuro, lançou e produziu o V2. Lançou o single “Haitoku no Hitomi” e o vídeo Virginity. Em 1994, compôs e produziu junto com Roger Taylor, baterista do Queen, a música Foreign Sand que se tornou um hit no UK. No mesmo ano foi lançado um álbum de tributo ao Kiss entitulado Kiss My Ass, onde Yoshiki participou com a música “Black Diamond”. Em 1995, Yoshiki adquiriu um novo visual cortou os cabelos. Em 1996, durante a Turnê Dahlia, Yoshiki não conseguiu terminar a musica “Kurenai” porque sofreu uma lesão no pescoço e foi levado para o hospital. O médico o advertiu para tocar com mais cuidado. A partir daí Yoshiki passou a usar um apoio especial para o pescoço.

No dia 22 de setembro de 1997, foi anunciado o fim do X Japan. Depois da saída do vocalista Toshi. A banda fez a sua última performance no Tokyo Dome no dia 31 de dezembro de 1997 –The Last Live. Yoshiki tinha planos de reformular a banda, colocando hide nos vocais. Infelizmente hide veio a falecer no dia 2 de maio de 1998. Pondo fim aos planos de Yoshiki. Depois da morte de hide, Yoshiki mudou-se para Los Angeles onde tem dois estúdios de gravação e passou a produzir bandas como Dir En Grey, Glay, Kiedney Thieves e Abandoned Pools.

No dia 12 novembro de 1999, Yoshiki fez sua primeira aparição em publico, num evento em comemoração aos 10 de Reinado do Imperador. Para o festival Yoshiki se apresentou com a musica Anniversary que ele compôs especialmente para o evento.

Em abril de 2002, Yoshiki compôs o tema oficial da Aichi Expo 2005 I’ll be your Love interpretado por Dahlia. O single com a musica foi lançado em 2003. Em setembro de 2002, Yoshiki se juntou ao grupo Globe e lançou o single Seize The Light em novembro do mesmo ano.

Em 2000, Yoshiki participou de uma série de comerciais de TV para 7-Eleven do Japão. No vídeo ele apresentou músicas do seu mais novo projeto Violet UK, um estilo bem diferente do que havia apresentado antes. Violet UK é um projeto que ele tinha desde 1991, no qual procura misturar todas as experiências musicais que já teve ate hoje.

Em Dezembro de 2002, Yoshiki realizou um Concerto com a Orquestra Filarmônica de Tokyo com musicas do X Japan e apresentou canções inéditas do Violet UK. O DVD “Yoshiki Symphonic Concert feat Violet UK” foi lançado no dia 30 de março de 2004 junto com o CD Eternal Melody II. O álbum com musicas do Violet UK era para ser lançado desde de 2000 porem Yoshiki nom gostou do resultado gravou e re-gravou varias vezes.

Em 2007 Yoshiki produziu a trilha sonora do filme Catacombs. Para o filme Yoshiki compôs a musica Blue Butterfly. A trilha foi lançada em 3 de outubro de 2007, as faixas foram escolhidas pelo próprio Yoshiki. Dentre elas a musica “Psyche” do Zilch uma versão da musica de hide. Essa foi a primeira vez que uma música do Violet UK foi lançada oficialmente.

Em 2004 Yoshiki produziu uma banda Koreana chamada The TraX. Durante a Otakon 2006 em agosto, Yoshiki anunciou que estaria formando uma banda junto com Gackt. Em dezembro do mesmo ano foi anunciado o terceiro integrante da banda, Sugizo ex – guitarrista do Luna Sea. Muitas especulações surgiram sobre o quarto integrante. Então no dia 5 de maio de 2007, durante o JRR foi anunciado Miyavi como quarto integrante e o nome da banda - S.K.I.N. A primeira apresentação do grupo aconteceu na Anime Expo, no dia 29 de junho de 2007 tendo Ju-Ken do Gackt Job como baixista suporte.

Em maio de 2007, aconteceu o J-Rock Revolution evento que tinha como objetivo promover o J-Rock nos EUA. A idéia do festival partiu do próprio Yoshiki, atendendo ao pedido dos fãs que queriam ver bandas japonesas tocando ao vivo. O evento ocorreu nos dias 25 e 26 de maio no Wiltern Theater em Los Angeles, Califórnia. Ao total nove bandas se apresentaram: Alice Nine, Vidoll, DuelJewel, Kagrra, Miyavi, D'espairsRay, Merry, Girugämesh e MUCC. O JRock Revolution foi um sucesso, tanto que seus organizadores pensam em fazer outro evento não só nos EUA como também na Europa.

Em 2007 outra noticia bombástica. Yoshiki supreendeu a todos ao anunciar a volta do X Japan. A banda se reuniu para gravar o clipe da música I.V, tema do filme Jogos Mortais 4. E em janeiro foram anunciados 2 shows no Tokyo Dome (28 de março - Tokyo Dome ~ Destruction Night ~ e 30 de março ~ Tokyo Dome ~ Creation Night ~). Como os ingressos se esgotaram rapidamente durante a pré venda, Yoshiki anunciou um terceiro show no dia 29 de março ("Mubou na Yoru").




Curiosidades

• Yoshiki estuda piano desde os 5 anos, influencia da sua mãe que é professora de piano.

• Na escola era considerado um aluno problemático. Ruim em todas as matérias exceto em Inglês.

• Aos 10 anos de idade encontrou o corpo de seu pai morto. O pai de Yoshiki teria se suicidado devido a problemas financeiros.

• Yoshiki ja torceu o pescoço e abriu os pulsos diversas vezes tocando bateria.

• Já foi considerado um dos 5 artistas japoneses que mais causaram prejuízos em hotéis (60.000 ienes em uma única noite).

• Durante a gravação do clip de Rose Of Pain em Paris, um homem o parou na rua e perguntou se ele gostava de “homem”. Yoshiki comentou o fato dizendo que ele é mais popular com homens do que com as mulheres.

• Yoshiki se veste de mulher desde pequeno. Por se vestir assim ja passou por varios problemas como comentarios maliciosos, provocações e brigas com intervenção da polícia.

• Yoshiki tem extremo cuidado com as mãos. Quando começou a tocar piano lhe disseram que as mãos são muito importantes.

• Pouco se sabe sobre a família de Yoshiki, ele não gosta de falar sobre o assunto. Mas parece que ele tem um irmão mais novo, Kouki Hayashi. Kouki é o oposto de Yoshiki, é ator já atuou em algumas novelas e é casado.

• Yoshiki namorou a atriz e cantora Shizuka Kudo, segundo a impressa japonesa Yoshiki troca de namorada constantemente.

• Yoshiki serviu de inspiração para uma linha de bonecas estilo “Barbie”.



hide
Nome Verdadeiro: Matsumoto Hideto (松本 秀人 )
Nome Artístico: hide (seu nome artístico é escrito com todas as letras minúsculas, sua pronúncia correta é ridê e não raide como no inglês)
Posição: Guitarrista
Data de Nascimento: 13 de Dezembro de 1964
Lugar de Nascimento: Yokosuka, Japão
Signo: Sagitário
Tipo Sanguíneo: AB
Altura: 1,69m
Peso: 50kg
Formações: Moda e Cosmetologia (esteticista)
Habilidades Musicais: Guitarra, clarinete, trompete, bateria, baixo, vocal e compositor
Bandas: Yakosuka Saver Tiger, X Japan, hide solo, hide with Spread Beaver, Zilch.
Morte: 2 de Maio de 1998

História


Matsumoto Hideto nasceu no dia 13 de Dezembro de 1964. Durante toda sua infância foi um menino obeso, chegando a pesar 80kg. Na escola, hide nunca foi bom aluno, sempre tirando notas baixas. Como no Japão não é normal ser gordo, chegou a ser alvo de brincadeiras pelos seus colegas. hide nunca gostou de ser gordo, mas era inevitável que fosse alvo de piadas de mau gosto, então na maioria do tempo hide ficava sozinho, ele era depressivo a maior parte do tempo. hide tinha decidido emagrecer para não ser mais motivo de brincadeiras. Aos seus 15 anos ganhou sua primeira guitarra, uma Gibson Les Paul Deluxe, nessa época ele já tinha sido apresentado ao mundo do Rock graças um disco do Kiss, AliveII. Nessa mesma época hide fazia inglês e costumava fazer viagens de intercâmbio aos Estados Unidos foi em uma dessas viagens que ele comprou o cd do Kiss e se encantou.

Em 1980 hide entrou para o Ensino Médio e foi fazer parte da banda do colégio, mas logo de início ele não gostou muito, já que teve que tocar clarinete e não o trompete como queria, com isso, não demorou muito para ele sair da banda. No ano seguinte, 1981, hide fundou sua primeira banda independente chamada Saver Tiger e começou a fazer shows pela cidade, como rock não era muito comum no Japão naquela época, a banda acabou fazendo sucesso, ao mesmo tempo em que outras bandas indies que surgiam.

hide era muito apegado a sua avó, ela era esteticista e em 1983 hide começou a ter aulas de moda e estética, onde se formou um ano depois, tirou sua licença e começou a trabalhar na área. Nos anos seguintes hide continuou a fazer shows com sua banda que ficou conhecida pelo visual agressivo e pelo som, mas em 1986 sua banda começou a dar mais problemas do que ela costumava dar, seus companheiros não levavam a banda a sério, foi nesse período onde, Yoshiki líder da banda X, apareceu e o convidou a participar e refazer a banda, já que X tinha “acabado” por conta da falta de guitarrista e baixista. hide recusou o convite de primeira, mas logo viu que sua banda estava dando muito trabalho e resolveu aceitar, hide entrou no X em 87 onde começou um duro trabalho com sua nova banda.

Com a entrada de hide e um pouco depois a de Pata, a formação de X Japan estava consolidada. Não demorou muito tempo para X explodir no Japão. X foi o pioneiro do movimento Visual Kei, que impulsionou muitas bandas e impulsiona até hoje.

hide sempre teve um papel importante no X, ao longo de sua carreira hide fez muitos amigos, e acabou conhecendo um ótimo baixista através de seus amigos, ele era o Heath, e desde então se tornaram muito amigos, mas ele mau sabia que o Heath se juntaria ao X em um futuro próximo. Depois da saída de Taiji do X em 7 de Janeiro de 92, hide o chamou para fazer parte da banda, depois de algum tempo pensando, Heath aceita o convite e integra a banda.

Após gravar vários álbuns com o X, hide, em 1993, hide começa um trabalho paralelo ao X, dava-se início ali sua carreira solo. No mesmo ano hide escreveu e estrelou seu próprio filme chamado Seth et Holth, um curta metragem de 43 min. Mas seu trabalho central continuava a ser o X Japan, pelo menos foi assim até o término da banda em 1997. hide começou com tudo sua carreira solo alcançando 3 singles no top 10 na Oricon Music. Sua carreira ia muito bem até um imprevisto, sua morte.

No dia 2 de maio de 1998, às 8:52 foi divulgado a morte de um ícone da música japonesa, morre aos 33 anos Matsumoto Hideto, mais conhecido como hide.

hide havia voltado de uma viagem a Los Angeles, alguns dias depois, hide teve uma noite de bebedeira com seu irmão, hide foi para seu apartamento e na manhã seguinte foi encontrado por sua namorada em seu quarto com uma tolha no pescoço que estava amarrada na maçaneta da porta do banheiro, ela logo chamou a ambulância, mas infelizmente hide morreu a caminho do hospital. Essa notícia teve uma grande repercussão, chocando o Japão e seus fans ao redor de todo mundo.

Aparentemente não tinha motivos para se matar, todas as pessoas que com ele conviviam disseram que não sentiram nenhuma mudança. Sua carreira como músico no Japão estava ótima, e também tinha sua carreira no Estados Unidos com sua nova banda de Rock Industrial, Zilch, que comera a fazer sucesso. hide sempre almejou fazer sucesso fora do Japão mas tal sonho teve que ser interrompido por sua morte.

Após a morte do hide muita coisa foi lançada. Em 1999, uma coletânea de músicas do hide sendo tocadas por bandas de peso e amigos, como Siam Shade que tocou Pink Spider, Yoshiki, Pata, Glay, entre outros músicos.

Dois anos depois da morte do hide, foi construído um museu em sua homenagem, o hide Museum, que foi aberto no dia 20 de Julho de 2000, lá podia ver tudo que o hide costumava usar, guitarras, roupas, acessórios, entre outras coisas. Depois de 6 anos aberto o hide Museum foi demolido em 2006 para a tristeza dos fãs.


A morte


Depois de uma noite de bebedeira com seu irmão, hide foi para seu apartamento e na manhã seguinte foi encontrado por sua namorada em seu quarto com uma tolha no pescoço que estava amarrada na maçaneta da porta do banheiro, ela logo chamou a ambulância, mas infelizmente hide morreu a caminho do hospital. Essa notícia teve uma grande repercussão, chocando Japão e seus fans ao redor de todo mundo.

A morte do hide teve um grande impacto, causando morte entre seus fans e arrastando uma multidão ao seu velório. A morte de hide foi alvo de várias hipóteses que até tentam explicar o motivo real de sua morte, mas entre essas hipóteses 2 se sobressaem, a de suicídio e a de um acidente.


Suicídio?

Após o sucesso do single Pink Spider, e por este ser o nome pelo qual Yoshiki o tinha apelidado, muitos acreditam que esta música tenha em sua letra mensagens sobre o suicídio do hide. Já que não é preciso ter motivos para um suicídio e geralmente alguém deixa uma carta antes de o fazer.


Acidente I?

Havia uma massagem que o hide fazia que tinha como objetivo aliviar o stress, essa massagem tinha a necessidade de 2 pessoas e era feita da seguinte forma: “pegava-se uma toalha amarrava-se em volta do pescoço enquanto o outro ia apertando.”

Quando hide chegou no seu apartamento estava bêbado, estressado e sozinho, como não tinha ninguém, hide prendeu a toalha na porta do banheiro e prendeu em seu pescoço, mas como estava bêbado pegou no sono.


Acidente II?

hide gostava de fazer muitas coisas em seu show. Quando hide chegou em seu apartamento, ele poderia estar ensaiando um novo número para seu show e por estar bêbado, incidentemente acabou morrendo.




Curiosidades

• Pink Spider (aranha rosa) foi o apelido dado ao hide pelo Yoshiki por ter o cabelo rosa. No começo hide odiava o apelido até que começou a gostar.

• Em uma entrevista a uma revista hide disse que queria ter nascido mulher.

• Foi um músico que viveu além do seu tempo. (Palavras do Taiji em seu livro)

• Era o único integrante do X Japan que ninguém contestava, era a pessoa que todos consultavam.

• O vocalista do L’arc~en~ciel também se chama Hideto, e decidiu colocar um “Y” em “hYde” para se diferenciar do hide.

• hide morria de medo de insetos, principalmente de baratas, se ele visse algum inseto em meio a um ensaio, ele parava de tocar e saia e só voltava depois de ter certeza de que não haveria mais nenhum inseto. (Palavras de Taiji em seu livro).



SUGIZO
Nome verdadeiro: Yasuhiro Sugihara
Nome artístico: SUGIZO
Posição: Guitarrista
Data de Nascimento: 8 de Julho de 1969
Lugar de Nascimento: Kanagawa
Signo: Câncer
Tipo Sanguíneo: O
Altura: 1,75 cm
Peso: 55 Kg
Formações: ???
Habilidades Musicais: vocal, guitarra, violino, baixo, Trompete, Sitar, Fonógrafo
Banda: Luna Sea, The FLARE, Sugizo & the Spank Your Juice, S.T.K., SHAG, S.K.I.N., X-Japan, Juno Reactor .




História


Sugihara “Sugizo” Yasuhiro nasceu doa dia 8 de julho de 1969 em Kanagawa, Japão. Seus pais, membros da Orquestra Tokyo-to, o ensinaram sobre música. Ele começou a tocar violino muito jovem, e continuou durante a adolescência. Ele então descobriu a banda americana KISS e um amor por maquiagem e visuais extravagantes veio em seguida.

Logo ele foi para a escola, onde se apaixonou por mais bandas de rock (como YMO, Culture Club, Duran Duran etc.). Ele começou a tocar guitarra e formou uma banda chamada Pinocchio com seu colega de classe, Shinya. Anos depois, no dia 16 de janeiro de 1989, os dois criaram o Luna Sea com Ryuichi, Inoran e J. Foi nessa banda que Sugizo finalmente pôde mostrar seus visuais, cabelos e maquiagem, uma vez que a banda era classificada como Visual Kei. Até o fim da banda, no ano 2000, Sugizo continuou a levar a moda ao limite.

Foi em 1997 que Sugizo iniciou sua carreira solo e lançou Truth. Ele foi recebido com críticas mistas, uma vez que foi uma mudança dramática comparado ao material do Luna Sea. As músicas eram uma mistura de diferentes gêneros, acompanhadas de batidas eletrônicas. Quando ele retornou à carreira solo em 2002 (após estrelar o musical Soundtrack), sua música voltou às origens e os fãs ficaram mais aliviados.

Em 2004, ele formou o The Flare com o vocalista Yuna. A banda foi bem recebida e lançou quatro singles e um álbum. Porém, por razões desconhecidas, a banda acabou em 2006.

As atividades de Sugizo estiveram em hiatus até 2007, queno o guitarrista entrou para a “super banda” de Yoshiki, o S.K.I.N., que conta ainda com Gackt e Miyavi. A banda se apresentou no Anime Expo, na Califórnia, no dia 29 de junho.

Em dezembro de 2007, duas boas notícias para os fãs. No dia 5 Sugizo lançou o álbum de remixes SPIRITUARISE e, no dia 24, os membros do LUNA SEA se reuniram para uma apresentação especial, a God Bless You ~One Night Déjàvu~ no TOKYO DOME, sete anos após o fim da banda.

Em janeiro de 2008, Sugizo fez uma participação no single Hi no Hikari sae Todoka nai kono Basho de, lançado por Miyavi no dia 16. Em março, o guitarrista participou da volta do X JAPAN no TOKYO DOME, nos dias 28, 29 e 30.



HEATH
Nome verdadeiro: Morie Hiroshi (森江 博)
Nome artístico: Heath
Posição: Baixista
Data de Nascimento: 22 de Janeiro de 1968
Lugar de Nascimento: Hyogo, Amagasaki
Signo: Aquário
Tipo Sanguíneo: B
Altura: ???
Peso: ???
Formações: ???
Habilidades Musicais: Contra Baixo, Teclado, Piano e Vocal.
Banda: Paranóia (1986-1988), Chaos Mode (1988), Beet Sweet (1988-1989), Sweet Death (1990), Majestic Isabelle (1991), Media Youth (1992), X Japan (1992-1997), Dope HEADz (2000-2003), RATS (2003-2004), Lynx (2004-Atualmente), X Japan (2007), Carreira Solo: 1995 (Atualmente).


História



Nascido no dia 22 de Janeiro de 1968 às 5:22 AM, Heath cresceu em um ambiente cercado por música. Seus pais eram músicos, tocavam guitarra, teclado, baixo e bateria. E sempre incentivaram os seus filhos a tocarem algum instrumento e ouvirem rock.

Quando Heath nasceu, seu irmão mais velho tinha 4 anos de idade e estava aprendendo tocar guitarra. Para aprender diferente, Heath decidiu tocar baixo. Ganhou o primeiro álbum aos 3 anos de idade, um LP dos Beatles. Que junto com o seu irmão, conseguiram tocar todas as músicas do álbum ainda crianças.

Rockeiros fervorosos, os pais de Heath levaram ele e seu irmão pela primeira vez para assistir um show rock em 1972 no Osaka Prefecture Gymnasium. As crianças ficaram encantadas com o show do Van Halen. Os pais reconheceram que isso seria uma boa influência e começaram a sempre levar seus filhos aos shows. Entre eles, ao do Queen, Mötley Crüe, Kiss e Deep Purple.

Ainda aos quatro anos de idade, Heath ganhou o álbum “Machine Head” do Deep Purple e aprendeu com a ajuda do pai, a tocar “Smoke on the Water”. Que foi tocada em sua apresentação da escola.
Durante a adolescência, Heath virou fã do baixista Nikki Sixx (Mötley Crue) e sempre tentou se inspirar nele em todas as performances que fazia. Formou a primeira banda em 1986 chamada “Paranóia”. Os membros decidiram que deveriam ter nomes de artistas de palco, e de “Hichan” Hiroshi começou a ser conhecido como Heath.

A abandona em 1988 para se juntar ao “Chaos Mode”. Ele chegou a ficar nem um ano nesta banda e mudou novamente para outra. Só que dessa vez, como vocalista da banda “Beet Sweet”.

Em 1990 Heath se muda de Osaka para Tokyo. Foi convidado para se juntar como baixista de uma banda produzida pela gravadora Extasy Records, chamada “Sweet Death”. Esta banda tinha como um dos membros, o ex-vocalista da banda de rock japonesa AION, Satoru.
Através de um amigo, Heath conhece hide após o último show da turnê “Rose & Blood Tour”. Hide gostou dele assim que o viu e o apresentou para todos os membros do X como “Heath de Osaka”.

Em 1991 Heath deixa a banda “Sweet Death” e se junta a outra que também era produzida pela “Extasy Records”, chamada “Majestic Isabelle”. Participou com ela no festival da “Extasy Summit 91”. Apesar das duas últimas bandas que ele participou serem produzidas pela Extasy Records, Heath disse que nunca foi lançado um álbum por esta gravadora. Ela apenas apoiava muito os artistas independentes.

Heath não se entendeu com os membros do “Majestic Isabelle” e preferiu voltar para o “Sweet Death” no mesmo ano. A banda estava com um novo líder (Honma Kiyoshi) que muda o nome para “Media Youth”.

Taiji deixa o X em 1992 e começa a busca por um novo baixista. Hide lembra de Heath e liga para convida-lo para sair e ter uma conversa. Ele pergunta se está ciente da situação do X e pergunta se poderia ajuda-los em um ensaio. Heath aceita e hide o entrega uma fita com cinco músicas (“Standing Sex” ', “Blue Blood”, “Endless Rain” , '”Joker” e “Sadistic Desire”) que deveriam ser copiadas e decoradas para o ensaio no dia seguinte.

Como tinham saído para beber, Heath e hide foram para o ensaio de ressaca. Heath errou algumas notas e estava muito nervoso por tocar ao lado de hide e Pata. Mas ao percorrer do ensaio, Heath foi deixando a timidez de lado e conseguiu convencer todos os membros do X de que ele deveria ser o novo baixista.

Imediatamente, ele abandona o “Media Youth” e vai com o X para a coletiva de imprensa em Nova Iorque no Rockefeller Center para anunciar sua entrada no dia 24 de agosto de 1992. Tocou com o X Japan (após a coletiva de imprensa, souberam que já havia uma banda americana chamada X e por isso, mudam o nome para X Japan) nas telas pela primeira vez no NHK Kouhaku.

Em 1993, “Art of Life” se torna a primeira música que grava com o X e o primeiro show oficial que ele faz no dia 31 de Dezembro de 1993 no Tokyo Dome. Saiu-se muito bem na apresentação. E começa os preparativos para o álbum “Dahlia” e sua turnê.

Compôs as músicas “Daydream 001”, “Daydream 002” e “Daydream 003” que serviram de base para os seus solos de baixo na “Dahlia Tour” e foram tocadas junto com a música tema do “Fantasma da Ópera”.

Lançou seu primeiro álbum solo em 1995, chamado “Heath”. Começou também a compor músicas para dorama (novela japonesa), anime e até jogo de cd-rom.
Após o rompimento do X Japan, Heath prosseguiu com a carreira solo. Em 1998, lançou o álbum “Crack Yourself” no mês de abril e em junho lançou outro, chamado “Gang Age Cubist”.

Tocou no “hide Tribute Spirits” em 1999 com o Pata e o ex-programador do hide Spread Beaver I.N.A. Gostaram tanto da performance que em 2000 formaram o “Dope HEADz”. Lançaram o primeiro álbum em 2001 intitulado “Primitive Impulse”. Ele também contava com JO:YA nos vocais.

Em 2002 o vocalista saiu da banda e colocaram Shame no lugar. Outro álbum foi lançado, o “Planet of the DOPE” e no mesmo ano, começaram a turnê do novo álbum.

Devido a outros projetos, foram obrigados a pausar as atividades em fevereiro de 2003. Em dezembro, Heath anuncia o seu novo projeto solo “RATS”. Re-lançou o single “Traitor” e encerrou o projeto em 29 de Agosto de 2004.

Em 2004, formou a banda “Lynx”. Além de rock, a banda mistura um pouco de música eletrônica. Fizeram turnê pelo Japão em 2006 e devido a projetos paralelos, novamente outra banda de Heath pausou as atividades.
Heath começa misturar música eletrônica com rock em suas composições e lança três singles em 2005 (“New Skin”, “Come to Daddy” e “Live”). Em agosto de 2006 lançou outro single, fruto de seu novo trabalho, chamado “Solid”. Após 7 anos sem um álbum solo, em outubro de 2006 Heath lança “Desert Rain”. Demorou um mês e meio para ser gravado e ele tocou todos os instrumentos, menos bateria.

Em Feveveiro de 2007 fez a primeira apresentação do álbum, com Pata na guitarra, Kazuno (ex-Moi Dix Móis) no baixo e Tohru (ex-Moi Dix Mois) na bateria.

Voltou com o X Japan em 2007 e gravou o PV de “I.V.” no dia 22 de Outubro. Fez três shows no Tokyo Dome com o X Japan em março de 2008 e agora está se preparando para tocar pela primeira fez no exterior na turnê mundial do X Japan.


Curiosidades

• A música “Daydream” possui seis versões (“Daydream #001”, “#002”, “#003”, “#004”, “#005” e “#006”). Todas foram produzidas com diferentes DJs japoneses. Ele escolheu o mesmo nome para todas as músicas porque quando a escuta, é como se estivesse vendo a luz em lugar escuro. Mas dependendo se a pessoa for criança ou adulto, sente e vê de outra forma.

• A música “Daydream #004” quando ficou pronta, teve o seu material junto com todo o equipamento roubado do estúdio. Heath não a reencontrou e nem pretende regrava-la.

• Se fosse para escolher um lugar no exterior que quisesse tocar, Heath disse que gostaria de ir para Alemanha por que tem um amigo que é de lá.

• É fã de Mötley Crüe e Nine Inch Nails. Mas também gosta de Led Zeppelin, Deep Purple, Rainbow e KISS.

• A música do X Japan que mais gosta de tocar ao vivo é “WEEK END”. Porque, segundo ele, tem boas memórias. Foi a primeira música que pediram para ele cantar junto o refrão (durante o ensaio, Toshi entregou a letra e deu as instruções de como deveria cantar. Em seguida, com nenhum instrumento acompanhando, hide, Toshi e ele cantaram o refrão várias vezes. Heath adorou como ficou a harmonia e como tudo se encaixou perfeitamente).

• É o único membro do X Japan que não possui Myspace. Em 2007 uma pessoa fingiu ser ele em um chamado “HEATH Project”, mas a conta foi deletada assim que descobriram.

• Seu prato favorito é pastel japonês e uma sobremesa japonesa de morango.



Pata
Nome Verdadeiro: Tomoaki Ishizuka
Nome Artístico: Pata
Posição: Guitarrista
Data de Nascimento: 04 de Novembro de 1965
Lugar de Nascimento: Tateyama - Chiba, Japão
Signo: Sagitário
Tipo Sanguíneo: B
Altura: ??
Peso: ??
Formações: ??
Habilidades Musicais: Guitarra
Bandas: Black Rose (1982-1983), Judy (1983-1985), X JAPAN (1987 – Atualmente), Carreira solo (1993-1995), hide (1994-1998; membro suporte), P.A.F. (1998-1999), Dope HEADz (2000- 2003), Ra:IN (2002- Atualmente), Miyavi’s Project (2003), Aikawa Nanase (2005; Membro Suporte)
História



Assim como Toshi e Yoshiki, Pata nasceu na cidade de Tateyama no ano de 1965. Aprendeu a tocar guitarra com o pai que era professor, quando ainda era criança. Sempre calmo, decidiu largar os estudos na adolescência para se dedicar apenas a guitarra.



Aos 17 anos formou a primeira banda chamada “Black Rose”. Mas, devido a constante mudança de membros, em 1983 a banda muda de nome para “Judy”. Eles sempre tocavam em festivais locais, até que em 1985 os membros preferiram seguir carreira solo. No mesmo ano, Pata se muda para Tokyo e faz shows com diversas bandas como membro suporte.



Em 1987, Pata conhece o X e sempre os auxiliavam quando estavam sem guitarrista. Em uma das ocasiões foi para gravar o Skull Trash Zone Vol. 1 e outra para substituir um guitarrista chamado Isao, que sofrera um acidente de moto.



No dia 21 de abril de 1989, Yoshiki o convida para ser o guitarrista oficial do X e sem hesitar, ele aceita.

Enquanto hide fazia os solos de guitarra, Pata tocava a base. Mas nas músicas “I’ll Kill You”, “Stab Me In The Back” e “Orgasm” ele ficou com a liderança dos solos. Sempre acompanhado com uma garrafa de whisky, durante as gravações do álbum “Vanishing Vision” chegou a leiloar uma das garrafas que tomou por 1,000,000 Yens.


Diferente dos outros membros que tiveram uma carreira solo duradoura, Pata lançou o 1º álbum solo em 1993 chamado “Pata” e o segundo (e último) em 1995 intitulado “Raised on Rock”. Contou com a colaboração de diversos músicos como Tommy Aldridge, Tim Bogart, James Christian e Mitchell Marcoulier.



Lançou o primeiro single em setembro de 1994 chamado “Fly Away”. Uma das músicas que estava no single, a “TILL THE END OF TIME ~FROM ROAD OF LOVE~”, foi usada como tema de um programa de TV japonês. O seu segundo single, “Shine On Me”, fez parte da trilha sonora do filme “Boxer Joe” e foi lançado em janeiro de 1995.



A turnê do álbum solo teve apenas seis shows em cinco cidades diferentes. Entre 1994 e 1996 Pata também colaborou em alguns shows da turnê do “hide with Spread Beaver” como guitarrista convidado, e em 1998 deu suporte em algumas aparições do hide na TV.

Após o fim do X Japan em 1997, Pata fundou a banda “P.A.F.” (Patent Applied For) com o cantor NoB e vários músicos convidados. O nome se originou das pickups de guitarra Gibson Les Paul 1959 que o Pata utilizava.


O primeiro álbum do “P.A.F.” foi lançado em março de 1998 e teve como destaque a música “Love & Fake” que fez parte do programa de TV “Akko no Nakashitaroka”. Fizeram turnê pelo Japão, mas tiveram suas atividades encerradas em 1999 assim que lançaram o segundo álbum “Pat. #0002”.

Em maio de 1999 produziu o álbum “SPIRITS” em tributo ao hide e tocou a música “Celebration” junto com Heath e I.N.A. do “hide with Spread Beaver”.


Esta união fez com que eles formassem em 2000 a banda “Dope HEADz”. JO:YA, também do ex-membro do “hide with Spread Beaver”, se juntou a banda nos vocais. Em fevereiro de 2001 eles lançaram a primeira música, chamada “Glow”. E em junho do mesmo ano, lançaram o primeiro álbum chamado “Primitive Impulse”. Em 2002 JO:YA sai da banda e entra Shame no lugar. Colaboraram novamente em mais uma coletânea em homenagem ao hide, chamada “Cafe Le PSYENCE, hide LEMONed Compilation” e lançam o álbum “Planet of the Dope” em junho de 2002.

Entraram em turnê no mesmo ano e em 2003 a banda encerrou as atividades devido aos seus outros projetos paralelos.


Em 2003, Pata se junta ao “Miyavi’s Project” com Luke Takamura III (ex-Seikima II), Chirolyn (ex-hide with Spread Beaver), Shinya (ex-Luna Sea) e o guitarrista da extinta banda “Dué Le Quartz”, Miyavi. Devido a má reputação do Miyavi na antiga banda, esta união com membros de bandas lendárias de peso causou uma revolta muito grande entre os fãs. Durante os shows, os fãs do X Japan e Luna Sea levavam cartazes implorando para o Miyavi sair da banda.



Devido a grande reprovação do público, o “Miyavi’s Project” foi um fracasso e os membros preferiram seguir com as carreiras solo. O Pata chegou a tocar em um show do Miyavi como guitarrista convidado em 2003 no Hibia Yagai Ongakudou, para promover o segundo álbum do Miyavi, o “Galyuu”.



Em 2002, Pata fundou o “Ra:IN” (Rock and Inspiration) com Michiaki Suzuki no baixo (ex-Tensaw) e Tetsu Mukayama na bateria (ex- P.A.F.). Lançaram o primeiro maxi-single em abril de 2003, chamado “The Border”. Em novembro do mesmo ano, lançaram o primeiro álbum chamado “The Line” e iniciaram a turnê “Line Live”. Em 2004 fizeram a turnê “Ark Live”.



Em 2005 o Ra:IN pausou as atividades e o Pata acompanhou Aikawa Nanase na produção de seu álbum de comemoração de 10 anos de carreira. O Pata também foi guitarrista da turnê de Nanase em 2005 até o Ra:IN voltar em 2006.

Depois da pausa de dois anos, a banda volta em 2006 com o álbum “Before the Siren”. Pata escreveu as músicas “Free” e “Revival”, As outras foram escritas pelo Michiaki, mas os arranjos foram feitos pela banda toda.


Atualmente, Pata está se preparando para a turnê mundial do X Japan e continua fazendo turnê com o Ra:IN, que está se expandindo no mercado internacional e chegou a fazer shows nos EUA e até na França em Julho de 2008 na Japan Expo.




Curiosidades



• O apelido “Pata” se originou de um personagem de mangá de Tomomi Nishimura, chamado “Patarino”. Ele era um cachorro que gostava de fazer nada o dia inteiro.



• Tem dois gatos chamados Kotaru e Kotetsu.



• Há boatos de que o Pata foi casado, se divorciou e tem uma filha.



• Segundo o Yoshiki, apesar do Pata aparentar ser preguiçoso, ele gosta de jogar Tênis.



• Assim como Toshi, é fanático pelo time de baseball Giants. E segundo o Yoshiki, seu humor varia quando eles ganham ou perdem um jogo.



• Sua bebida favorita é Jack Daniels e chegou a beber uma garrafa inteira durante o Last Live.



• Durante a gravação da “I.V.”, Pata chegou bêbado no estúdio e o Yoshiki teve que implorar para ele não ir bêbado na gravação do clipe.



• Comprou a prjmeira Gibson Les Paul, modelo 1959, durante as gravações do álbum “Jealousy” nos EUA. Ele pagou US$20 000 dólares por ela.



Taiji (1987/1992 - Saiu)
Nome verdadeiro: Yasushi Sawada
Nome artístico: Taiji
Posição: Baixista
Data de Nascimento: 22 de Julho de 1966
Lugar de Nascimento: Chiba
Signo: Câncer
Tipo Sanguíneo: A
Altura: 1,73
Peso: 55 Kg
Formações: ???
Habilidades Musicais: Baixo e Vocal.
Banda Anteriores: Trash, Dementia, Plowler, X Japan, Fatima, Dead Wire, X Japan, Loudness, Kings, Dirty Trashroad, Cloud Nine, Oto Kaze.





História


Taiji Sawada, conhecido na cena musical japonesa apenas pelo primeiro nome, tornou-se famoso a partir da sua entrada como baixista da lendária banda japonesa X Japan, entrando no lugar de Hikaru, gravando três álbuns (Vanishing Vision, Blue Blood e Jealousy), tendo saído da banda em 1992, devido desavenças musicais com o lider da banda, o baterista e pianista Yoshiki Hayashi. Logo após sua saída, integrou o Loudness, a primeira banda de rock japonesa a fazer sucesso nos EUA, gravando dois álbuns (Loudness e Once And For All), tocando com eles até 1994.



Em 1996, integrou o projeto Kings, com membros de bandas famosas de heavy metal japonês como 44 magnum e Seikima II, onde lançaram um único álbum, auto-intitulado. Nessa mesma época, fundou o Dirty ThrashRoad, onde lançaram três álbuns (Dirty ThrashRoad, Dirty ThrashRoad ~ Acoustic, Daring Tribal War e Drive to Revolution).



Em 1999, Taiji fundou o projeto Cloud Nine, projeto onde continuou tocando até o ano de 2001, onde lançaram, em 2000, o único registro da banda, o single Bastard.



Em 2004, Taiji lança sua carreira solo, e na mesma época fundou, junto com sua irmã, o projeto Otokaze.

Durante sua infância, devido seu senso de justiça recebeu o apelido de Kamen Rider, uma série famosa da sua época. Vários episódios de brigas para defender seus amigos e lideranças de sua parte em qualquer competição originaram-lhe o apelido.


Logo após sua saída do X Japan, Taiji viveu uma fase difícil, onde separou-se da esposa, tentou várias vezes suicídio, pois achava que estava dando tudo errado. A morte de seu melhor amigo, hide (Hideto Matsumoto) fez-lhe refletir sobre sua situação, e essas reflexões ajudaram-lhe a dar a volta por cima, voltando a investir naquilo que ele mais gostava: a música.



Atualmente, Taiji trabalha na sua carreira solo, tenta reviver seu projeto D.T.R (Dirty Thrashroad), e toca na banda de sua irmã, Masayo Sawada, o Otokaze. Em 2007, reintegrou o projeto Cloud Nine.

Taiji é famoso pelas suas técnicas avaçadas de Slap, tappings e 2 hands, técnicas próprias do instrumento que toca, o baixo. Ao mesmo tempo, é habilidoso também com violão e com a guitarra. Taiji também escreveu um livro, intitulado “X NO SEI TO SHI”, onde conta detalhes sobre sua infância, sua relação com hide e os outros membros do X, e sobre sua vida relacionada ao X Japan.


LINKS OFICIAIS:

X JAPAN - official UK site
X JAPAN - official French site
X JAPAN - official Myspace
X JAPAN - official site
Toshi - official Myspace
hide city - official site
Toshi - official Japanese site
Heath - official site
Ra:IN - official site
YOSHIKI - official site
YOSHIKI - official Columbia homepage
PATA - official MySpace
Violet UK - official MySpace
YOSHIKI - official MySpace
Be Free!!



PERFIL:



X Japan, conhecido antigamente por X, foi uma das mais conhecidas e populares bandas no Japão dos anos 80 aos 90. O grupo usava o conceito de "Psychedelic Violence - Crime of Visual Shock" (literalmente "Violência Psicodélica - Crime do Choque Visual") e são costumamente referenciados como os fundadores do movimento visual kei no Japão, apesar deles não terem sido a única banda a se vestir de forma colorida e selvagem em sua época.



Sua música é uma forte representação do seu tempo. O estilo de X começou seguindo bastante a linha do heavy metal, apesar de seus lançamentos conterem diversas baladas também, como a famosa Art of Life, uma música que têm quase meia hora de duração. Com o passar do tempo, o som da banda ficou ainda mais diversificado, quando os integrantes começaram a deixar seus verdadeiros talentos brilharem.




BIOGRAFIA:



Foi em 1980 que os amigos de infância YOSHIKI e Toshi formaram uma banda conhecida como Noise. Dois anos mais tarde, eles mudaram seu nome para X e começaram sua ascensão na história do rock. A banda começou fazendo perfomances em clubes com a ajuda de alguns músicos, conquistando um bom número de fãs na cena underground no processo. Eventualmente, o grupo conseguiu lançar algumas faixas em compilações de bandas de rock, o que só ajudou a aumentar ainda mais seu número de fãs. Em 1987, os dois integrantes recrutaram hide, Pata e Taiji para completar sua banda e torná-la oficial.



Os rapazes eram bastante populares, mas não conseguiam encontrar uma gravadora interessada em sua música. Com o dinheiro que sua mãe conseguiu com a venda do seu negócio de família, YOSHIKI criou sua própria gravadora, Extasy Records e lançou então Vanishing Vision, o primeiro álbum oficial de X. O álbum gerou um grande impacto na indústria de metal, mas não captou o interesse do Japão. Porém, os metaleiros aprovaram tanto o álbum que logo a gravadora Sony Records Japan tomou notícia da banda e lhes ofereceu um contrato.



Blue Blood foi logo lançado e se tornou um grande sucesso. Canções como Weekend e Endless Rain invadiram a mídia japonesa e deram a banda a popularidade que eles precisavam. X estava em todo lugar. Tocar nas rádios sem parar, vender muito de seus discos e realizar uma grande leva de entrevistas na TV foram tudo que bastou para fazer de X uma das bandas de maior sucesso da história do Japão. Suas turnês nacionais esgotaram-se quase instantâneamente e eles se tornaram a primeira banda da história a tocar no Tokyo Dome por três noites seguidas.



Não é preciso dizer que o álbum seguinte, Jealousy, quebrou o recorde de vendas previsto. Infelizmente, todo o sucesso no mundo não conseguiu manter Taiji na banda. Ele abandonou o grupo em 1992 e foi então substituído por Heath, que logo conquistou fãs. A banda mudou depois para outra gravadora, com esperança de fazer sucesso no exterior. Porém, a descoberta de uma banda de punk americana chamada X os fez mudar seu nome para X Japan, afim de evitar conflitos de copyright e confusão.



O primeiro lançamento com o novo nome foi o disco de 1994, Art of Life, um álbum de 29 minutos que ficou famoso por uma razão: continha apenas uma faixa! A música épica encantou o público e subiu para o primeiro lugar nas paradas de sucesso do Japão durante seu lançamento. Até hoje a música só foi tocada ao vivo uma vez, gravada e lançado como ART OF LIFE 1993.12.31 TOKYO DOME.



1996 chegou e X Japan lançou seu último álbum, Dahlia. Apenas alguns meses depois, em abril de 1997, Toshi deixou a banda. Surgiram diversos boatos para explicar a razão de sua saída e muitos fãs tiveram problemas em perdoá-lo por ter abandonado a banda. Pouco tempo depois, X Japan anunciou o seu término. Seu último show foi no Tokyo Dome, em 31 de dezembro de 1997, para sempre imortalizado em vídeo como The Last Live.



Os boatos indicavam que hide e YOSHIKI planejavam em eventualmente ressucitar a banda com um novo vocalista, mas isso nunca aconteceu devido a morte trágica de hide em maio de 1998. Sua morte chocou toda a nação e reuniu X Japan para uma última perfomance final: Forever Love, cantada como adeus no funeral do guitarrista.



Em 2007, a banda se reuniu mais uma vez para gravar a música I.V, escolhida para ser o tema do filme Jogos Mortais 4. A canção foi gravada por todos membros do X Japan antes do seu término e contou com gravações da guitarra de hide que não tinham sido usadas anteriormente. No dia 20 de janeiro, YOSHIKI anunciou numa conferência que a banda estaria se reunindo novamente para realizar três perfomances ao vivo, duas no Tokyo Dome e uma em lembrança aos 10 anos da morte do guitarrista, no Tokyo Stadium.



Os discos de X Japan continuam vendendo bem até hoje, quase dez anos depois do seu fim. Tidos como uma lenda, seu impacto na cena musical japonesa ainda consegue ser sentida até hoje através das bandas de visual kei e seu visual único. Porém, para os fãs de X, seu estilo será para sempre reconhecido como a arte de "Psychedelic Violence- Crime of Visual Shock".

Nenhum comentário:

Postar um comentário